Tuesday, November 27, 2007

's how I roll is all
-
Eu gosto de todos filmes do Adam Sandler que já vi, desgosto de quase todos poemas longos que já tentei ler.

Monday, November 26, 2007

Esta certeza, é o tempo Tsur quando é difícil
-
Eu entendi o mundo, dia desses. Era noite, e não tardinha, o que me leva a crer que eu poderia estar certo (na real, certamente estava confuso de sono, apenas, mas não deixou de ser divertido)

Tudo de errado e grave se assentava em algum sentido. Tudo de absolutamente irrenconciliável.
Até a morte, até o Cruzeiro fora da libertadores. Até a Coisa Que Não Será Dita e Que Provoca Esse Post.

Tuesday, November 20, 2007

Anna Karenina and Leopard-Walk-Up-To-Dragon
-
O mundo insiste, insiste. Acha que me pega, todo malandrão. Através de gente que complica as coisas, que não entende o papel que você percebe, de longe, que elas deveriam desempenhar. Insiste em criar inadvertidamente expectativas que não cumpre, que não teria como cumprir, toda hora. Insiste no vário e no diverso, em todas essas árvores aí, todos os enganos habituais antigos.

E só dá de assistir, claro. De tomar nota calado das tantas coisas que se perdem, aos montes, nos outros. Toda essa gente achando que é tudo novo, que tudo acontece com eles pela primeira vez, que não sabe o que fazer.

_(*_*)'\

(Andreis Passarinho se preocupando com as pessoas)

E mais,

olha, se você realmente insiste em fazer da sua vida uma empreitada estética, ao menos empreste os modelos dos lugares corretos. Vá atrás do clássicos (tomando o cuidado habitual de toda pessoa de bem com a afetação, com alemões e alemoas), vá atrás de realizar sua vida vazia em formas que resistam um tantinho de nada ao ridículo.
Você vai estar vivendo edições martin claret de coisas maiores (ou até, caramba, vivendo alguma espécie de fan fiction, Hamlet na praia, Hamlet e o caso do colar amaldiçoado.), mas poderia ser pior. Tem gente que tenta ser o Cazuza.

Sunday, November 11, 2007

I don't wanna get over You, I rather be a pagan su-ckled in a creed outworn, and and not have to go through what I go through
-
Eu sou tão, tão óbvio. Tenho a complexidade e a previsiblidade de um desses filmes, de um sitcom. Os desenvolvimentozinhos que rolam aqui dentro são ridículos, punchlines que eu antecipo meses antes.
As expectativas se criam da mesma forma inevitável do Tom Hanks ficar com a Meg Ryan, do Joey voltar da porta que ele acabou de fechar para pegar o sanduíche que deixou em cima da mesa. Fico só esperando as coisas se realizarem da forma esperada. É meio entediante e simples demais, acho que não acreditaria
em mim, se me lesse em algum lugar.




Monday, November 05, 2007

-
Qualquer coisa feita por gente, de uma cadeira de balanço até Guerra e Paz, de uma imitação do Robert Deniro até o ministério da agricultura, tudo divide importância de um jeito bem maleável.
Na verdade, de um jeito perfeitamente maleável, decidi agora. Escreve aí.
Tanta gravidade consegue se tirar do - digamos - jeito tímido de um estranho de bigodinho te acenar na rua para atravessar a faixa de pedestre. Preencheria, talvez não o mundo, mas certamente Goiás, Tocantins, até um pedacinho do Maranhão.

Thursday, November 01, 2007

-
Olha que eu tou me segurando pra não fazer um post absolutamente desnecessário sobre o radiohead. Mas desnecessário mesmo, assim, e irrelevante até o máximo, tipo um daqueles programas resumão-de-carreira. Falando de como é bacana por isso e por isso, e daí Ok Computer, daí Kid A, e olha só-mãe-sem-gravadora-agora, etc. Mas eu me segurei.
Pode só falar que é muito massa? É muito massa.
I hate conservatives, but I really fucking hate liberals
-
South Park é um desenho tão infinitamente superior a todo esse resto aí que dá até vergonha. Eles conseguem se safar de moralismo, de pregação, até. Fingem que vão ser irônicos quando vão falar perfeitamente sério. É bem espertinho, no fundo. E ainda conseguem estar certos na maior parte do tempo. Verdade que não é engraçado-engraçado o tempo todo, mas geralmente algo salva o episódio. Eles criaram um tom muito apropriado pacas, e são terrivelmente íntegros com a coisa, mais do que se imaginaria possível. Sempre constrangedor chamar um programa de tv de corajoso, mas olha eu aqui chamando ó.