Sunday, December 31, 2006

-
Já estou começando a ficar puto com essa rapidez dos anos. Década quase morta e nada se levanta, nenhum padrão, assustador que fosse, começa a se formar nas coisas. A única cara que conseguiria imprimir minimamente envolveria fotologs e bandas que tocam no o.c., e eu não quero fazer isso.
Fiquei repetindo pra mim mesmo, entre sonhos, hoje: Friedman, James Brown e Pinochet. Se o nosso entendimento intuitivo do mundo não for completamente infecundo* (e eu nunca vou admitir isso), significa que, por necessidade de manter um equilíbrio, nasce agora uma mistura dos três.
(Talvez o Saddam no lugar do Pinochet, hm)
De qualquer forma, espero por desenvolvimentos aí da realidade com expectativas irreais de desenho animado, como sempre. O funk está solto, decerto resulta nalguma coisa. Que em 07 as bolhas estoirem de vez.

*eu ia dizer retardado, mas retardado ele é.

Wednesday, December 27, 2006

-
Será que os portugueses entendem que estão sendo portugueses enquanto fazem a coisa deles? Todas as palavras inacreditavelmente apropriadas, sempre. Até burocracia soa agradável e afável, feito de massinha. Acaba que não consigo ler blog português. I mean Loiça.

Thursday, December 07, 2006

Duas coisas que não merecem post próprio
-
Este negócio de blog não é saudável de jeito maneira. Compreende-se a necessidade (necessidade!, dizem os velhinhos dos muppets no camarote), mas eventualmente alguém dirá essa geração um bando de gente que não consegue dar um passo sem tê-lo comentado, fotalogado, não consegue escrever sem ter alguém que leia imediatamente.
E ninguém consegue se levar a sério. Ou, pior, começam a levar a sério a bobajada que só é pertinente e necessária aqui nas intraweb. (O que é terrivelmente apropriado aqui dentro, mas acaba escapando).

Na Intenção de Chun Lee
Eu posso dizer que o orkut me fez atentar pras elegâncias que o mundo despeja toda hora em cima da gente debaixo de um disfarce ofensivo? Posso?

Sunday, December 03, 2006

Olha, eu não me importo com tudo isso aí do meio-ambiente. Não digo isso porque é bonitinho e irreverente (irreverente, meo deos, ainda tem gente que precisa se mostrar irreverente aí nessa tróia). Eu não me importo porque a imaginação é fraca, mesmo. Ficam falando que vão engolir as praias e matar as morsas e eu não acredito. Até parece. Morsas nadam, pinguins também.
-
Descobrir um ministério novo, com seu ministro sempre apropriado (como eles conseguem?), é como descobrir um novo ursinho carinhoso, um novo smurf.

Na foto, o Ministro da Pesca encontra o Ministro da Cidade. Mirthfulness ensues.
-
Seria mais apropriado se eu falasse de livros, filmes. Faria mais sentido. O filme dos mágicos lá tem David Bowie como Tesla. Isso deve ser o bastante para arrastar alguém até o cinema ou impedir com igual força. No mais, livros são legais, leiam, etc. Sobre música, falem com o pará.

E isso é tudo, those are the fake news, I'm chevy chase and you're not. Só posto de novo daqui a mil anos.