Friday, January 27, 2006

Só pra constar nas posteridades aí que eu brinquei disso também
-
Tenho um amigo, eu. Um amigo cujo universo se expandiu mais e mais que o olho humano dele não conseguiu ver pois o próprio universo os tampou.
Era familiar, eu já tinha ouvido falar sobre isso nos lugares, nos salões de minha juventude. Até várias vezes, até virar piada e esquecerem a origem séria, que na minha opinião não é matéria para riso nenhum.
"Como quando aperta control sem ver e rola pra cima daí as letras sobem e sobem que até tapam as coisas. "
Ele tinha isso pronto para impressionar as garotas pouco impressionadas que olhavam distante, você percebia de longe.
"E o quê que equivale ao contrário? Quando as letrazinhas ficam pequenas e pequenas que parecem formigas?"
Ele me olhou assim você é burro e disse que no fundo era a mesma coisa. Eu fiquei com vergonha de pedir pra explicar, só fiz que sim com a cabeça, falei baixinho que tudo que é pequeno parece formiga.

Sunday, January 15, 2006

Smile, to be sure - for fucking dogs are truly funny- but walk on say nothing, as though you hadn't noticed
-
Ficção mal escrita pode causar reações bem distintas, dependendo das intenções do autor. A ficção bem intencionada, sem ser pretensiosa, que só quer mostrar momentos bonitinhos entre os personagens lá que ela arranjou, quando mal escrita, me traz uma tristeza assim de olhar pela janela, ainda mais quando publicada de verdade, em papel e tudo, com o nome lá do cara que escreveu, a universidade onde estudou ou coisa parecida, a dedicatória pra família que apoia. Você fica torcendo pra ele não fazer aquela metáfora, pra ele não chamar atenção praquela coisa que deveria ter ficado subentendida, pro conto não ter aqueles twist endings onde o velhinho era cego, o protagonista na verdade é um cachorro, ah, olha só, um cachorro todo esse tempo.
Mas isso quando não é coisa de estrondoso sucesso na praça, quando é coisa de estrondoso sucesso na praça eu fico é com raivinha, cheio daqueles mas, mas como criança anunciando choro, enchendo cabeça de punições sádicas e de realização improvável.
Quando isso acontece quase sempre uma torrente de coisas erradas com o mundo desfila pela minha cabeça, como universitários em caminhonetes mostrando a bunda, rindo da minha impotência, rindo e apontando.
Contra isso o recomendável é ler gente morta, mas bem morta mesmo, gente empertigada que fala engraçado, nem precisa ser um livro inteiro, se não for o seu estilo, pegue uns diálogos no meio envolvendo algum comendador, sem contexto também funciona, pelo menos comigo.

Sunday, January 01, 2006

posto por postar, porque 1/1/2006 no coisinha.
2006, uau. metade da primeira década verdadeiramente sentida por aqui e nem se percebe.
ah, não vale a pena, os dois mil e poucos são todos desajeitados e feiosos, e o futuro como fica? os que ficaram pra trás pareciam que estavam pra chegar em algum lugar, esses agora ficam só prolongando a decepção, e até sei lá quando.
-
na foto, eu e a esposa em trancoso, paz e firmeza são os votos de andreis passarinho e família
lá em cima, foguetes rasgando e gritando fiu, já aconteceu antes mas nada que se compare a esta vez, eu chuto também que igual tiranossauros em aeroportos.
-
(
in other news, esse blog já tem trinta e dois posts, posts de reflexão e engrandecimento, de eu e você, de piadas e brincadeiras, e isso não seria possível sem vocês)
-
na foto, vocês